Cozinha italiana: Don Fabrizio

Cozinha Italiana: Don Fabrizio

As massas italianas são os pratos mais conhecidos no panorama culinário internacional. O viajante apreciador das macarronadas encontrará, às margens do Tâmisa ou do Sena, numa “strasse” da Áustria ou numa terrace de hotel da Côte d’Azur, os suculentos pratos italianos. Cada país e, dentro dos países de grande extensão territorial, cada região, tem seu prato favorito e característico, de acordo com o clima, com os produtos da terra e com a tradição. Assim, não se deve esquecer de pedir, em Palermo, a costeleta à milanesa. Em Turim, a massa com molho da Sardenha. Cordeiro de leite à romana é o pedido em Veneza. Isso vale para  a Italia e para o mundo. Neste São Paulo cosmopolita há ótimos restaurantes, para todos os gostos e nacionalidades. Na linha de casas de luxo, o Don Fabrizio, com o Ca d’Oro e o Don Ciccilo, são os restaurantes mais procurados na especialidade de pratos italianos. O proprietário do Don Fabrizio, Mario, procurou dar à sua bela casa uma decoração típica, em estilo veneziano. Como se vê nas fotos destas páginas, é um restaurante com grande capacidade de atendimento de bufês, seja no próprio recinto ou para fora. Seu serviço à mesa é, de fato, principesco, como atestam frases elogiosas escritas no livro de impressões que os clientes ilustres, satisfeitos com a excelência dos acepipes, deixam registradas.

Sendo um restaurante novo, mesmo sem aquela tradição secular dos restaurantes europeus, o Don Fabrizio, em poucos anos, tornou-se famoso pela bela decoração de suas salas, e, sobretudo, pela excepcionalidade de sua cozinha. No Don Fabrizio, o apreciador de massas pode deliciar-se com os pratos clássicos que fizeram famosa a cozinha italiana.

Pode-se dizer que as massas italianas são, entre as comidas estrangeiras, as mais consumidas pelo gastrônomo paulista. E a isso deve-se a existência de inúmeras cantinas, desde as mais tradicionais, bem dentro do estilo napolitano, até os restaurantes populares do Brás, nos quais saudáveis ítalo-paulistas e corados italianos saboreiam a autêntica “pastasciutta”.

A foto maior desta página [à direita] reproduz uma parte do segundo salão que tem, ao fundo, um toldo em estilo veneziano. Em primeiro plano, aparece um bufê especialmente preparado para esta reportagem, e do qual destacamos o faisão “à la fantasie”,  a cascata de camarão,  atravessa de galantina e as sobremesas confeitadas, servidos no restaurante da Alameda Santos.

Sugestão do “maître”:

LASANHA VERDE

Lasanha verde – Coloca-se na massa, antes de juntar a água, um pratinho de sobremesa de espinafre cozido e passado no liquidificador. A lasanha ficará verde. Arrume em camadas alternadas a lasanha, molho de tomates, lasanha, queijo, presunto, copa, molho de tomates e lasanha. Leve ao forno bem quente até derreter o queijo. Deve ser servido bem quente.